Finep avança em acordo de 150 milhões de euros com banco alemão

News - Latest

A Empresa Brasileira de Inovação e Pesquisa (Finep) acaba de dar um passo decisivo para a liberação de recursos de até 150 milhões de euros, frutos de captação externa junto ao banco alemão Kreditanstalt für Wiederaufbau (KfW), instituição voltada ao financiamento de projetos de desenvolvimento e um dos agentes envolvidos na Cooperação Técnica Brasil- Alemanha para Desenvolvimento Sustentável. Na quarta-feira (6), a Comissão de Financiamentos Externos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (COFIEX) deu a autorização do Governo Federal para que as negociações avancem, agora diretamente entre Finep e o KfW. Até o fim de junho, uma comitiva de quatro técnicos vindos da Alemanha se reunirá com a equipe da Finep na sede da empresa no Rio de Janeiro. A expectativa é que o financiamento voltado para projetos de inovação vinculados à mitigação de emissão de gases de efeito estufa seja liberado até meados de 2019.

A negociação entre a Finep e KfW se insere em uma estratégia mais ampla da agência brasileira para captar recursos internacionais que amparem linhas de crédito em inovação e pesquisa no país. Trata-se de um processo complexo e que requer domínio de mecanismos sofisticados do sistema financeiro internacional, como, por exemplo, dispositivos de redução de riscos cambiais da operação. "É uma área que costuma apresentar uma grande variedade de mecanismos e conhecê-los bem pode significar uma significativa redução de custos no financiamento", explica Dalmo Moreira Junior, coordenador de Captação em Organismos Internacionais da empresa. A linha de crédito de 1,5 bilhão de dólares que a agência negocia com o Banco Interamericano de Desenvolvimento se insere na mesma estratégia. O aporte, que atualmente aguarda aprovação na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, visa dar maior fôlego a projetos de inovação em sete setores cruciais para a economia brasileiras (industrias química, de mineração, de biotecnologia, agropecuária, de tecnologia da informação, de metalurgia e mecânica e de saúde).

O esforço da Finep em buscar novos recursos no mercado internacional tem como objetivo fazer frente ao impacto de sucessivos contingenciamentos de verbas públicas ocorridos nos últimos anos. Tais reduções têm afetado não apenas não as linhas destinadas a empréstimos não reembolsáveis, mas também o crédito a empresas. "Pela primeira vez na história, tais medidas afetaram nossas operações de crédito a empresas", diz Mariana Marques Vidal, gerente do Departamento de Captação da Finep. Com os recursos externos, pretende-se garantir que tais contingenciamentos tenham um efeito menor nos programas de financiamento de inovação e pesquisa da agência.

Fonte: Finep